Sahifa fully responsive WordPress News, Magazine, Newspaper, and blog ThemeForest one of the most versatile website themes in the world.

A evolução das bicicletas

Evitando prejuízos
1 de abril de 2022
O sucesso da Copa do Mundo de MTB no Brasil
1 de maio de 2022

A evolução das bicicletas

 

Se você puxar pela memória, quantas diferenças poderá perceber entre as bicicletas atuais e de 15 anos atrás? As bicicletas estão mudando constantemente. Por isso, no artigo de hoje, o tema será sobre a evolução da indústria das bicicletas!

Design sem nome

A primeira bicicleta foi feita em madeira, e não passou de um capricho de seu criador, Barão de Drais, que a usava para passear por seus jardins, em 1817. Na verdade, durante quase meio século, não havia uma indústria de bicicletas. A reviravolta começou a ocorrer por volta de 1870, quando começou a ser utilizado o metal na construção das bikes. E a partir daí, a evolução e crescimento da indústria do ciclismo começou a se acentuar.

Em 1888, John Boyd Dunlop desenvolveu os pneus pneumáticos (com câmara de ar). Nesta mesma época, uma série de evoluções simultâneas também ocorrem, por exemplo, a popularização das transmissão por corrente e cubo livre (permitindo o deslocamento contínuo do ciclista mesmo sem pedalar). Além disso, como as bicicletas começaram a se tornar cada vez mais velozes, em 1898, o freio começou a ser parte essencial para as bicicletas. Por fim, nesses meados, começaram a ser desenvolvidas até mesmo quadros em liga de alumínio.

A partir de 1940, com as bicicletas tendo um conceito muito semelhante ao de hoje, o que passou a mudar foi a cultura dos indivíduos. O ciclismo como modalidade esportiva se popularizou e, em 1950, nasce nos EUA a mountain bike, que é o modelo que predomina atualmente, lembrando que nas mountain bikes modernas estão integrados conceitos amplamente desenvolvidos a partir dos anos 90, que são os quadros cada vez mais leves, os amortecedores e freios a disco.

Mas e aí, qual seu palpite para os próximos anos? Qual será o próximo melhoramento?

Gostou?…então, curta, comente e compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *